domingo, 4 de agosto de 2013

A Energia Livre e a libertação da humanidade

Existe uma fonte de energia limpa, inesgotável, potente e facilmente acessível à todos no planeta? A resposta para estas questões é sim, e a energia livre (ou energia gratuita, energia do ponto zero) em breve será uma realidade palpável no nosso mundo!

Muitos estudiosos apontam que um dos principais problemas da humanidade, especialmente na atualidade, é o acesso à energia. Embora eu concorde em parte com esta afirmação (pois acho que uma outra parte do problema é o mau uso da energia que já existe disponível), acredito que, de fato, a liberação de energia de forma abundante, barata e acessível quebraria importantes círculos de poder que escravizam a humanidade, além de liberá-la, em grande medida, da concepção da escassez (ideia que também faz parte do processo de escravização da humanidade, desta vez em um nível mais ideológico, e que está no centro da organização da lógica de mercado).
O fato é que a Energia Livre é uma realidade, testada e comprovada por muitos, mas que sempre é jogada (ou mantida) no nível da obscuridade justamente por este enorme potencial libertador que ela tem. Basta ver os casos de tentativas de desenvolvimento desta tecnologia nos últimos cem anos, e se verá como o poder estabelecido age para manter as coisas como estão. Nikolas Tesla é um dos grandes exemplos disto; este que é considerado um brilhante inventor que revolucionou o uso da eletricidade morreu em descrença por ter se aventurado na "descoberta" da energia livre. Interessante como ele é tido como notável quando fala de corrente alternada e excêntrico quando trata sobre energia livre, mesmo que os dois trabalhos sejam da mesma época e tenham projetos com o mesmo nível de detalhamento.

O incômodo da energia livre para os poderosos e a repressão ao seu desenvolvimento

Além de Tesla (que propôs um modelo de torre que enviaria a energia de forma gratuita à todos, conforme o desenho logo acima), a lista de inventores perseguidos e que eventualmente sumiram é relativamente grande.
Esta é uma história, entretanto, que não ocorre apenas com o tema da energia livre, mas também vemos sabotagem sobre quaisquer temas que ameacem a dominação de grandes (ou melhor pequenos!) grupos sobre a humanidade, como é o caso do carro elétrico (que existe a quase tanto tempo quanto o carro a combustão, mas nunca emplacou), o motor a ar, a lâmpada (as primeiras lâmpadas duravam mais do que as incandescentes de hoje), a geração de energia solar e eólica em pontos descentralizados e vários outros exemplos, basta uma breve pesquisa sobre o tema.

Um repasse mais ou menos completo nesta história de sabotagem e repressão à energia livre pode ser visto neste link:
http://rense.com/general72/oinvent.htm

O site faz uma breve estatística com base em pesquisa própria, dos "casos de supressão" de inventores, ativistas ou associados ao tema da energia livre:
- 53 foram mortos, sumiram ou agredidos
- 13 foram ameados com morte
- 16 foram presos
- 7 foram envolvidos com a CIA
- 4 tiveram incidentes envolvendo o governo americano
- 27 invenções foram classificadas como secretas pelo Escritório de Patentes dos Estados Unidos
- 4000 foi o número aproximado de incidentes envolvendo companhias de petróleo
- 9 Companhias de Petróleo e Bancos foram envolvidas - Standard, Atlantic Richfield, Shell Oil Company, World Bank, Wells Fargo Bank.

Alguns casos: Adam Trombley, que teve seus equipamentos confiscados pela primeira administração de Bush (sua história aparece no filme Thrive); John Bendini, que foi persuadido a não produzir mais seus aparelhos depois de ser atacado em seu laboratório; John Hutchinson (foto abaixo), que chegou a criar equipamentos capazes de levitar, mas que teve seu laboratório invadido por três vezes tendo inclusive sua vida ameaçada.



A energia livre e as leis da físico-química

Muitas pessoas ficam de cabelo em pé quando se fala da energia livre porque acham que ela impossível por quebrar as leis da termodinâmica, especialmente a primeira, que fala da conservação da energia. Embora, segundo o meu ponto de vista a quebra de leis científicas não seja um problema, já que a ciência não tem a explicação definitiva para todos os fenômenos que ocorrem (e em alguns casos, está muito longe disto) e teve que rever sua posição inúmeras vezes na histórica (basta ver o caso do embate entre mecânica clássica e mecânica quântica), não me parece ser o que realmente ocorre.

O que parece que há é apenas uma errada concepção, ou um preconceito criado pela potente lavagem cerebral que sofremos neste mundo, de que a energia livre seria "criada do nada". Entretanto, a ideia por traz dela é muito similar ao da geração de energia a partir do sol ou do vento, ou seja, a questão é o princípio da geração descentralizada, e não a origem da energia. A diferença, neste caso, é que ela (a energia livre) poderia ter uma potência de geração muito maior do que estes dois exemplos citados. Nesta situação, a designação energia livre é extremamente precisa, pois a referência com o conceito de energia livre da física (Energia Livre de Gibbs) é muito apropriado. Este conceito se refere à parcela de energia que está disponível para ser convertida em trabalho (mais detalhes sobre o assunto pode ser visto no Wikipedia). E é exatamente isto que se dá no processo de obtenção da energia livre aqui citada.

Então qual seria o mecanismo por traz da energia livre? Embora eu não seja um conhecedor profundo dos seus mecanismos, o que parece ocorrer, neste caso, é que há uma extração da energia do éter (ou vácuo) a partir da criação de vórtices de campos magnéticos, especialmente ao formar o fluxo de um torus (o filme Thrive, citado acima, explora com mais profundidade este hipótese).

Isto não deveria ser surpresa de forma alguma para os cientistas e engenheiros, uma vez que os próprios físicos dizem que há quatro forças fundamentais (Força Nuclear Forte, Força Nuclear Fraca, Eletromagnetismo e Gravidade), sendo que somente conseguimos manipular no nível da tecnologia (ou seja, fora dos experimentos da física controlados sob rigorosos limites) o eletromagnetismo, ainda assim com diversas limitações.

Além disto, há uma constatação da física (cosmologia), que ao mesmo tempo em que é intrigante e incômoda para a ciência parece ser também a chave para a compreensão deste fenômeno, que é a energia do vácuo. Ela se refere ao fato de que o universo possui uma força que o põe em movimento constante de expansão, e só pode ser compreendida se considerar-se que 90% da matéria do universo não é conhecida. Ela seria de fato uma energia distribuída uniformemente em todo o universo, permeando tudo (por isto do vácuo, pois o espaço ocupado pela matéria - mesmo dentro dos átomos - é ínfimo). (Ver wikipedia e neste outro link algumas considerações a mais sobre o tema).



"Liberando" a energia livre

Hoje em dia, a liberação da energia livre é um processo cada vez mais difícil de se conter, e será assim com cada vez maior intensidade, por causa do processo de mudança (intensificação da luz etérica) a ocorrer no planeta. Mesmo aqui no Brasil, já é possível se ver alguma coisa acontecendo. Vejam estes experimentos mostrados no Fórum Internacional Software Livre em julho deste ano (2013), em Porto Alegre:
Engenheiro metalúrgico Thomas Soares expõe experimentos com bobinas em área de energia livre Foto: Eduardo Seidl/Indicefoto / Divulgação
http://tecnologia.terra.com.br/hardware-e-software/movimento-da-energia-livre-quer-eletricidade-de-graca,00b2aebc62baf310VgnVCM3000009acceb0aRCRD.html

Recentemente, a Globo do Maranhão também noticiou o lançamento de um dispositivo de energia livre:



A energia livre parece que pode ser testada de diversas formas e a partir de diversos dispositivos, desde os mais simples (capazes de acender uma lâmpada de 1,5V) até os mais complexos (que seriam capazes fazer levitar e mover grandes objetos - automóveis e até maiores - o céu é o limite).


Parece também que há muitas formas de se construir dispositivos para captar a energia livre, e há vários experimentos descritos no youtube e no google de forma geral. O site http://www.free-energy-info.co.uk/ se dedica a fazer uma compilação dos diversos dispositivos que podem ser construídos. Ali há milhares de páginas com diagramas e esquemas de construção detalhados para quem quiser se aventurar no assunto!

24 comentários:

  1. Nós podemos iluminar a sua casa com a energia do ar

    Estamos recolhendo doações que pretendemos remunerar em forma de apetrechos de energia livre.

    VIDEO: https://www.youtube.com/watch?v=c0GgZRjKdcw
    Envie dúvidas para E-mail:posid.contato@live.com

    ResponderExcluir
  2. O problema não é capitalismo, não é ganância.
    O problema é simplesmente a Natureza que NÃO DEIXA que energia seja criada. Por conseguinte, tudo o que se fala em torno de energia livre é apenas uma grande besteira fruto de pessoas que desejam profundamente ACREDITAR nisso.

    Teoria de conspiração? Ora, publique na internet! Existem trilhões de sites de energia livre e nenhum é censurado. Mas jamais vi um projeto decente dessas máquinas do impossível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ora, amigo, assim vc crê, assim é! Abra sua razão e intuição para as possibilidades infinitas do universo e você perceberá que ele é muito mais do que nos fazem crer!

      Pode julgar isto como quiseres, teoria da conspiração ou qualquer outro nome, mas as teias de dominação da humanidade se estendem muito além do que os nossos (propositadamente vendados) olhos vêem!!

      Excluir
    2. tem razão, a natureza dificulta porque ainda não chegou a hora de implantar energia livre...temos que sofrer com poluição, sendo lapidados pelas corporações gananciosas.... pra merecer melhoras vamos nos melhorar com http://novafaseracional.com.br

      Excluir
    3. Voce pode sair do corpo e comprovar olhos vedados

      Excluir
  3. Não sou eu quem creio.
    A natureza que se mostra assim, conservativa. Me mostre alguma violação da conservação de energia que eu admito. Até então, a crença é puramente de quem tem fé em energia livre.

    Não estou "julgando". É fato, pois contém todos elementos de uma especulação conspiratória. Uma nebulosa horda de poderosa e os coitadinhos que sofrem calados. Ora, convenhamos, a internet tá aí! Só publicar um projeto decente que o cara fica automaticamente protegido. Tá com medo? Publica através de um IP alheio, numa página alheia. Jeito há. O que falta é o que mostrar.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro amigo, com certeza você está repleto de razão, não me cabe convencê-lo do contrário! Entenda, que o que quero dizer com isto é que a realidade não é tão objetiva quanto se supõe!

      Se você realmente quiser aprofundar neste tema, considere, quem sabe, fazer a pesquisa com outro espírito: o de provar que ela é possível, ao invés do contrário! Você encontrará as respostas e verá que nenhuma lei da natureza é quebrada! Avalie ainda, se assim você quiser, uma segunda sugestão: a ideia de que muitos que pesquisam a energia livre tem profundos conhecimentos sobre física, e que fazem seus experimentos sem ganhar nada com isto, nem mesmo notoriedade!

      Excluir
    2. Mas Eduardo....

      Se eu estou repleto de razão, porque investiria em alguma empreitada de pesquisa? Obviamente, é uma pergunta retórica com o objetivo de mostrar uma inconsistência interna em tua última resposta a mim.

      Como hipótese, percebo que imaginas que eu não tenha pesquisado o tema. Pois bem, tenho pesquisado e posso afirmar: é regra quase absoluta que defensores de energia livre são profundamente ignorantes em física, concentrando-se em conceitos intuitivos fraquíssimos (atração e repulsão de ímãs), evocando visões místicas de eventos físicos e por fim, jamais admitindo sua ignorância. Como exemplo, JAMAIS vi alguém discutir energia livre à luz do eletromagnetismo de Maxwell. Para quem arranha física, percebe o despaupério científico envolvido.

      Como segundo argumento, proponentes de energias livres são, via de regra, analfabetos em epistemologia. Não compreendem nada do processo científico e da história das descobertas. Não entendem sequer indução e dedução.

      Como terceiro argumento, percebe-se que o desespero forja a mais cretina das atribuições ideológicas: a teoria da conspiração. Sempre há "eles" forjando tudo, matando, destruindo. No entanto, não há evidência alguma de tais atos. Muito pelo contrário: o carro elétrico está aí para ficar, usando métodos de conversão de energia altamente eficientes. A tecnologia avança ao seu ritmo.

      Como quarto argumento, te entrego a informação de que todos os "experimentos" que examinei são fraude. Ou, no mínimo, um auto-engano de mentes crédulas. Já assistiu ao filme Kenoma? Dá bem conta do fascínio hipnotizante que toma conta das mentes que perseguem tal sonho impossível. http://pt.wikipedia.org/wiki/Kenoma

      Portanto, lhe pergunto: o que mais devo pesquisar, que possa me revelar alguma "energia livre"? Sobre o espírito de "provar" que ela é possível, isso não rola, justamente por conta da epistemologia que afirmei acima. Quem alega coisas extraordinárias é que precisa fornecer as evidências! Ora, TUDO que eu conheço de ciência não dá margem a isso de energia livre! Não vejo motivo para gastar um segundo considerando esta hipótese. Se me apresentares algo, eu vou atrás. Caso contrário, é o mesmo que eu ir procurar "porque homeopatia funciona", sendo que não funciona. Entende? Não vou procurar por pedras que flutuam... Não vou procurar por reações de combustão reversíveis. Não vou procurar por metais que não conduzem eletricidade... Claro, a não ser que exista algum sinal disso! Entende meu ponto? Idem para energias livres
      Abraço.

      Excluir
    3. Outra coisa: Por que você afirma que "a realidade não é tão objetiva quanto se supõe"?

      Excluir
    4. Caro amigo,

      Não desejo travar uma batalha argumentativa aqui contra você pois entendo que este não é o melhor espaço para isto, além de um diálogo deste tipo ser inútil tanto para você quanto para mim...

      Fiz aquelas afirmações acima pois a minha experiência indica que este caminho não muda a opinião de ninguém. Talvez tomando isto em perspectiva vc entenda as afirmações que fiz nestes comentários.

      Entenda, também, que para mim há mais de uma forma de fazer ciência (assim como para muitos que estudam e criticam sua epistemologia dominante), e não me filio a esta perspectiva de Popper pois ela limita a percepção da realidade. No final, junto com seus benefícios, vieram muitos malefícios para a humanidade.

      Além disto, sabe-se que uma forte mudança paradigmática não é realizada por quem está dominando o paradigma atual. Isto é verdade com muitas coisas que pareciam absurdas no passado e depois se tornaram verdadeiras e provavelmente será assim com a energia livre. Por mais que não se admita isto, a ciência atual é uma verdadeira caixa hermética que, na maioria dos casos simplesmente nega a priori situações "estranhas", sem qualquer exame detalhado, simplesmente porque determinado fenômeno "não é possível". A pergunta é, não é possível segundo que modelo explicativo?

      Bem, e mesmo nunca tendo testado um aparelho de energia livre funcional, hoje entendo que ela é conceitualmente possível. Há, inclusive, mais de uma forma de se gerar energia conforme este princípio, e o eletromagnetismo é apenas uma delas.

      Por fim, estas questões sobre a ciência e sua epistemologia valem para a percepção da realidade como um todo. Para mim está cada vez mais claro que existe um governo oculto que limita, e muito, o desenvolvimento da humanidade. Ao partir da premissa que ele não existe, a única coisa que resta é buscar provas para afirmar isto. O que é muito mais simples do que o contrário (como no assunto da energia livre), pois este próprio governo oferece aos milhares estes argumentos, e não é muito difícil "bater em morto", ou seja, argumentar contra quem, no final das contas já está desacreditado mesmo...

      Excluir
    5. olhe para o motor magnético síncrono não precisa de energia para excitar o rotor porque ele e magnético se torna mais eficiente isso não e energia livre... física da energia alinhamento da energia atómica num sentido produzindo linhas de forças magneticas

      Excluir
    6. olhe para o motor magnético síncrono não precisa de energia para excitar o rotor porque ele e magnético se torna mais eficiente isso não e energia livre... física da energia alinhamento da energia atómica num sentido produzindo linhas de forças magneticas

      Excluir
  4. Bem, Eduardo.

    Eu fico triste que tão logo você se negue a uma troca de ideias, que começou educada. Me decepciono com isso, pois o título de "cabeça fechada" é dado a quem não aceita estas ideias. Mas de qualquer forma, peço que publique minha resposta, pois não existimos apenas nós dois. Outras pessoas poderão vir aqui com o intento de aprender algo e até mesmo usar este teu espaço para uma discussão verdadeiramente intencionada. Eu já fui censurado em muitos blogs, por dizer o que não gostavam. Sempre de pessoas que se denominam "mente aberta": homeopatas, conspiracionistas, "Nibirutas", "livres-energéticos", entre tantos outros.

    A minha experiência pessoal afirma o contrário: que é possível convencer muita gente, mudando suas opiniões, desde que estas não se agarrem ideologicamente a conceitos prévios, que normalmente lhes fazem agradáveis cócegas a certos favores psicológicos, como "sentir-se sábio", ou "sentir-se distinto".

    Não existe uma epistemologia dominante em ciência. Ao contrário, cada ciência necessita compor a sua, de forma que apresente conhecimento de qualidade. A própria epistemologia é uma construção histórica. A perspectiva de Popper nada diz sobre percepção da realidade, mas sobre filtros a usar em cima dessas percepções, de forma a invalidá-las (ou ainda não) como formas de descrição e predição da Natureza. Me espanta culpar a ciência pelas mazelas que o homem produz, usando seu conhecimento. E=mc² , por exemplo, é um modelamento fiel à natureza e não força ninguém a fabricar uma bomba atômica. A maldade humana usa do conhecimento para fazer merda. Os chineses faziam fogos de artifício com pólvora, e não bomba. É apenas uma questão de princípios e não de uma conveniente ignorância seletiva. Algo como "conheça para depois ignorar"?

    E sim, uma forte mudança paradigmática ocorre dentro do mainstream, tão logo se troca uma geração. Basta ver, por exemplo, os efeitos da teoria quântica no início do século passado, com físicos jovens tomando conta (Bohr, Heisenberg, Schrödinger etc). Os velhos (Planck entre outros tantos) agarraram-se a visões com que estavam acostumados. Esse discurso simplesmente não cola. A teoria da evolução foi outra.

    Um aparelho de energia livre é tudo, menos conceitualmente possível. E é justamente a IMPOSSIBILIDADE CONCEITUAL que me traz aqui. E eu entendo BASTANTE de eletromagnetismo. Você pode me dizer, exatamente, onde se pode retirar energia usando o eletromagnetismo? Não, não pode. Guias de onda? Campos não-conservativos? Monopolos magnéticos? Ora, convenhamos, você apenas ACREDITA nisso.

    Se você acha que existe um governo oculto, dê as dicas! O tempo de acreditar em conspirações malucas dos Iluminati já passou. Lembre-se: qualquer sociedade humana tem espionagem, tem vazamento. Mas as milhões de conspirações que o pessoal inventa são sempre perfeitinhas... Ninguém vaza... Conspirações são aquelas instituições transcendentais que os conspiracionistas amam odiar. É pura paranóia.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Giulliano,

      Embora tenha algum conhecimento sobre conceitos da física, e tenha formação científica (transito "no dois lados", se é que você me entende), provavelmente eu entenda menos de eletromagnetismo que você, pois esta área não é minha especialidade (lembro das equações de Maxwell mas faz tanto tempo que as estudei que não saberia falar com precisão sobre elas). Entendo, entretanto, que a explicação para estes fenômenos se encontram nas fronteiras não exploradas pela ciência atual ou que apenas estão começando a ser arranhadas. Seria o equivalente a tentar explicar o comportamento de partículas subatômicas com um modelo newtoniano. Para mim, quando se fala de energia livre se está referindo à possibilidade de extrair energias de lugares que a própria física quântica está começando a compreender agora. Ao se assumir isto ou compreender estas possibilidades, quem sabe a geração da energia livre não passe a ser apenas um problema de engenharia?

      E definitivamente, não concordo com a ideia de neutralidade científica. Qualquer conhecimento gerado o é feito a partir de valores muito específicos. Os modelos teóricos que predominam são sempre aqueles já ligados com alguma tradição ou conveniência, mesmo que velada ou inconsciente. Há paradigmas dominantes e as pessoas, mesmo aquelas consideradas cientistas se aferram a dogmas e não aceitam explicações ou hipóteses que vão além do que elas entendem como verdade.

      Sobre a questão da discussão, quis interrompê-la pois depois de um certo tempo, fica-se um tanto cansado de argumentações "racionais" comprometidas (com alguma posição ideológica). Não que eu não dê valor à racionalidade, ao contrário, inclusive escrevo artigos científicos em outras áreas do conhecimento, mas infelizmente vejo que estes debates normalmente são realizados apenas na tentativa de reafirmar posições anteriores, e não com o propósito de encontrar uma "verdade melhor". É o tal do ego se pronunciando. Neste sentido, normalmente se chega a um ponto em que os argumentos começam ser repetidos e reafirmados, nega-se a posição do outro e chega-se a um impasse, quando não em trocas pouco educadas. Esta não é o seu caso, esta claro, mas isto é especialmente verdade em discussões "frias" escritas, realizada com "estranhos".

      Neste caso, você vai encontrar esta situação em todos o "tipo de gente", desde as que se dizem mais abertas até aquelas que seriam mais fechadas. Não há um padrão, embora o julgamento mais pesado recaia sobre quem tenta construir uma outra verdade.

      Bem, comentando sobre sua última questão, é evidente que é difícil encontrar provas concretas sobre este governo oculto, pois ele se especializou durante milhares de anos em como acobertar o que faz e controlar a percepção das pessoas. Mas você as encontrará sim, e muita gente vaza informações sobre isto. Há vários blogs na internet (a maioria em inglês), que trazem informações "quentes" sobre estes "governos", mas quem acredita? O célebre caso de Snowden é apenas um deles. Há muitos gente escrevendo ativamente sobre isto, mas não com esta publicidade toda. Estamos preparados para dizer que tudo isto é coisa de malucos e conspiracionistas. No máximo é alguma agência pontual ou algum doido fazendo as coisas, mas até que de forma bem intecionada, ou em nome de uma agenda nacional no máximo mal formulada! É o que se deseja que pensemos.

      Excluir
    2. Continuando...

      Além destas provas, existem também as evidências indiretas, como é o caso do próprio surgimento da sociedade moderna. A forma como ela foi construída e como é mantida é um reflexo destes processos de dominação. Na Idade média, também, havia sempre um poder por trás de tudo, que era a sombra da igreja a dominar os governos e subjugar as pessoas. E assim podemos ir em qualquer momento da história. Ao estudar e conhecer mais a fundo estes processos, mais se percebe que esta explicação faz muito sentido, e de fato, explica muito melhor nossa estrutura socioeconômica atual. Muitos estudiosos (sociólogos, economistas, politólogos, etc), de alguma forma já se deram conta disto desde há algum tempo, embora não coloquem a situação exatamente nestes termos (entretanto alguns chegam bem perto disto). Enfim, dizer que o capitalismo e toda a selva competitiva em que vivemos é uma construção natural ou ainda que o ser humano é ruim por natureza é apenas uma escolha no que crer dentre as inúmeras possibilidades.

      É por isto que digo que a realidade não é tão objetiva quanto se acredita. Em primeiro lugar porque a escolha sobre a forma como explicar a realidade é sempre arbitrária. Elas são sempre abstrações, e sempre existem várias formas concorrentes de explicação. E, em segundo lugar, que tem a ver com esta primeira é que a realidade só existe a partir da nossa percepção subjetiva. Ela é diferente para cada indivíduo, e para mim, poderíamos dizer que a realidade seria melhor definida como o "encontro entre determinado fato/objeto e um sujeito". Por isto, a realidade é de alguma forma, o que NÓS ACREDITAMOS SÊ-LA, conscientemente ou não. Isto não é um privilégio apenas dos mais letrados, mas vale rigorosamente para todas as pessoas!

      Por fim, preciso dizer também que me apóio muito na minha intuição e percepções espirituais sobre o mundo no meus julgamentos. Estou supondo (talvez erroneamente) que esta parte talvez seja a mais difícil para você aceitar, entretanto eu preciso expô-la nesta conversa porque ela está evidente pelo próprio blog como um todo. Com o tempo, aprendi a confiar nesta que considero uma dimensão fundamental da realidade, devido às inúmeras evidências que já me foram apresentadas. Além disto, me filio à ideia de que o conhecimento intuitivo complementa o racional. Acho que é isto o que está faltando na ciência atual, que não necessariamente significa perder o seu rigor, mas sim se abrir para novas formas de apreensão do conhecimento e de leitura da realidade.

      Um grande abraço!

      Excluir
    3. E a propósito, o critério para filtrar algum comentário não é ter uma opinião contrária à minha, mas sim a falta de educação. Por isto eles são submetidos à verificação antes da publicação!

      Excluir
    4. Amigo, um documentário, PAWER no canal History que passou domingo 12/10/2014 vai lhe responder tudo isso, mais muito me admira sua ignorância do porque essa supressão ocorre tão veementemente... Assista e tire suas conclusões...

      Excluir
    5. Supressão do que, Robson? Assisti todo o documentário e o achei um lixo conspiracionista. Meu comentário no youtube:

      https://www.youtube.com/watch?v=yQqeTpx38bI

      Cara, é muita besteira. Não se explica NADA de ciência. Apenas se alega conspirações sem pé nem cabeça. É mais um típico documentário sensacionalista do History Channel. Uma vergonha que tal canal de TV tenha baixado tanto o nível ao ponto da mesquinharia pseudocientífica.

      Excluir
    6. Eduardo,
      Sinto pelo longo período sem responder. Simplesmente esqueci o rascunho da resposta no meu e-mail. Aí vai:

      Mas olhando por cima....
      Parece que eu aqui sou o "tapado", que não enxerga uma verdade mais profunda e é dominado por um pensamento tosco, forjado, mainstream (como se gosta de falar nesse vosso meio). Eu digo que essa postura sobre mim é indistinguível de um delírio desejoso. Isso o que: teorias conspiratórias, "verdades ocultas". Sabe por que não dou a mínima fé a tais ideias? Pelo modo como essas "verdades" vêm à tona: através de... intuição, de revelação e de autoridade! Nada contra intuição, pois é uma fonte riquíssima de ideias a testar. A diferença básica é a credibilidade que se DESEJA dar à intuição, e aí que a semelhança com a religião dogmática aflora:

      - sente-se (ou intui-se) que um deus exista.
      - Sente-se (intui-se) que uma conspiração global exista.
      - sente-se (intui-se) que energias, motos-perpétuos, etc existam.

      E nada disso conta com evidência, mas apenas com uma vontade íntima que dá automática credibilidade ao sentir. E, como sente-se de tudo, até coisas contraditórias, o sentir é um relativismo e sendo um relativismo não serve para nada a não ser que se verifique. Aí entra a ciência, que esse povo todo faz questão de ignorar. Ignora por que? Porque lhes obriga o rigor da auto-crítica ao invés do oba-oba da mútua confirmação.

      Qual a diferença? Toda. Para nenhum deles há a menor evidência, mas mesmo assim a sensação de credibilidade só cresce, tanto mais as outras pessoas (como eu) neguem (são todas apenas umas cegas). A negação alheia só abastece a certeza e o mecanismo psicológico pra isso é chamado de reforço. O conspiracionista dedicou tempo demais para depois apenas jogar fora aquilo tudo; ele sente intimamente que aquilo tudo PRECISA ser verdade e aí entra diretamente (facilmente localizável em teus textos) elementos de crença e de fé.

      Eu ainda não entendi bem o que queres dizer... o conhecimento científico tem sinais culturais? Digamos... as leis de Maxwell são um construto social, é isso? Queres dizer que o desvio que uma carga sofre quando estressada por um campo magnético é dependente de cultura? A repulsão elétrica é oriunda de valores sociais? Ora, me explique isso... Uma carga, encontrando outra, tentará ver o contexto social em que se encontra para então seguir uma lei ou outra? É isso? Se não, me diga, por favor, como uma teoria física pode ser contaminada por interesses. Dê-me exemplos, pois essa é uma alegação EXTREMAMENTE forte e de física eu entendo. Posso fazer o experimento e demonstrar facilmente as leis físicas.

      Voltando à física: falas de explicações de certos fenômenos. Que fenômenos? Eles não estão na fronteira da ciência, porque não existem. Muito antes de querer explicar, é preciso CARACTERIZAR, mostrar que existem através de experimentos replicáveis por qualquer laboratório. E isso não aconteceu! O que se tem é um monte de maluco frustrado, em todo mundo, com seus motos-perpétuos perpetuamente parados no fundo da garagem, sem entender (não entendem e nem querem entender física) por que não funcionou. Então, meu amigo, não adianta esse discurso de "fronteira da ciência" para fenômenos que não existem! É pura especulação em cima de afirmações desejosas a enfeitar um mundo que se considera, talvez, sem graça. Eu vejo, muitas vezes, até sinais de esquizofrenia em defensores de motos-perpétuos.

      Excluir
    7. SR GIULIANO O IGNORANTE E AQUELE QUE DIZ QUE CONHECE FÍSICA POIS O MAGNETO E A PROVA DE QUE PRODUZ ENERGIA TRANSFORMA A ENERGIA ATÓMICA DESORDENADA EM ENERGIA ATÓMICA LINEAR PROVOCANDO AS LINHAS DE FORÇA MAGNÉTICAS PODENDO EXCITAR OS ELECTRÕES NUM O DOIS SENTIDOS DANDO UMA TENÇÃO NAS EXTREMIDADES DO FILAMENTO CONDUTOR ISTO E UMA ESPLIQUAÇAO DE FÍSICA PAR A AQUELES BURROS QUE NÃO ACCREDITAO NA ENERGIA LIVRE

      Excluir
  5. Giuliano,

    Existem diversas pesquisas sobre o tema pelo mundo afora. Acontece que, da mesma forma que você diz que os tais "conspiracionistas" não conseguem aceitar outras verdades pois isto significaria a ruína, os "cientistas" (as aspas estão aí porque acredito que verdadeiros cientistas não teriam esta postura) também possuem o mesmo mecanismo psicológico, e relutam em aceitar concepções que podem fazer ruir aquilo que acreditaram e trabalharam por 15, 20 anos, uma vida inteira! Einstein, apenas para citar um exemplo conhecido relutou até a sua morte em aceitar a física quântica, mesmo contra todas as evidências!

    Assim, se vc apresentar a um cientista quaisquer teorias que lhes refute as bases do que acreditam, o que irá acontecer é a negação e/ou a tentativa de escárnio. Sequer se para para ouvir a argumentação, e quando a ouvem é apenas para ignorar no momento seguinte e seguir o que sempre se fez!

    Bem, para citar alguns exemplos, é o que acontece, por exemplo, com cientistas da Pear/Princeton (http://www.princeton.edu/~pear), que têm demonstrado, com experimentos muito rigorosos, desde há muitos anos, a influência da consciência sobre equipamentos (telecinese) e a pré-cognição, além de diversas outras constatações interessantes que obtiveram sobre a consciência e sua relação com o mundo material. Ou ainda com Harold Putoff (http://en.wikipedia.org/wiki/Harold_E._Puthoff), cientista com carreira renomada e entusista defensor da possibilidade da extração da energia do ponto zero (embora não tenha conseguindo construir um equipamento nem demonstrar o funcionamento de outros inventores, procurou demonstrar conceitualmente e experimentalmente a possibilidade de se trabalhar com o ponto zero), ou ainda Benveniste (http://pt.wikipedia.org/wiki/Jacques_Benveniste), que com sua pesquisa (que culminou com um artigo na Nature) procurou provar o funcionamento do que alguns chamam de "memória da água", ou ainda outros tantos que demonstram a capacidade curadora à distância e a partir da vontade de outros indivíduos (estes dois últimos tópicos podem ser encontrados aos montes em periódicos científicos). Esta lista pode crescer bastante se procurarmos cuidadosamente os cientistas que tentam pesquisar aquilo que os outros simplesmente negam. Você poderia perguntar qual a relação entre estes temas. Para além da simples questão do questionamento de fundamentos da ciência atual, há uma argumentação sobre a natureza do "campo do ponto zero" que perpassaria todos estes fenômenos e que poderia ser o potencial para uma teoria unificada para explicar a realidade.

    A questão toda é qual é o seu ponto de partida com relação a esta temática, pois isto define a busca que se empreende... É de que ela é falsa e que todos que a defendem tem algum tipo de dificuldade de aceitar/compreender a realidade? Ou o contrário, será que os elementos misteriosos desta realidade, inacessíveis à própria explicação científica, não mereceriam um questionamento mais profundo? Deveríamos aceitar a simples negação dada a estes casos (ou a sua renegação aos campos da "parapsicologia", "exoterismo" e outros rótulos...), por não se enquadrarem nos esquemas teóricos previamente definidos? Ou seja, a questão a se perguntar é se a crença está nas explicações já dadas pela ciência ou no método científico em si...

    Um fato interessante, que reforça esta blindagem da “ciência” é que normalmente todos aqueles que começam a pesquisar estes estranhos fenômenos passam já para uma categoria de “excêntricos”, “loucos”, etc... É o caso de Tesla, por exemplo, considerado gênio nas suas descobertas que deram dinheiro para a GE e louco em outras que eventualmente tirariam (que aliás foram feitas ao mesmo tempo), ou ainda de outros citados aqui mesmo. Veja-se que o argumento de que estas pessoas estão “ganhando algo” pode ser usado, pois normalmente suas vidas são arruinadas por este descrédito...

    ResponderExcluir
  6. Apenas uma correção, Tesla trabalhou Westinghouse (e JP Morgan), não GE...

    ResponderExcluir
  7. Bem,

    Para tentar superar um pouco a discussão mais no campo filosófico, digamos, vi que vc se refere à questão do moto-contínuo. Sei que suas restrições ao conceito de EL não se se resumem a isto, mas considere as seguintes explicações para como seria possível a geração de energia livre: http://energiapontozero.blogspot.com.br/search/label/Li%C3%A7%C3%B5es%20do%20Tio%20Tom.

    Basicamente, o argumento é que deve-se considerar o gerador de EL como sendo um sistema aberto, ou seja, que retira a energia do ponto zero e a converte em trabalho.

    Particularmente, me parece que, neste caso, o próprio conceito da primeira lei perde um pouco o sentido, já que o campo que fornece a energia do ponto zero estaria presente em tudo e não poderia ser isolado. Na verdade, ela continua a ter um sentido de uso prático nos casos em que não se acessasse diretamente a energia do ponto zero (considere que isto é um exercício, ok?), mas conceitualmente deveria ser considerada como uma situação restrita (como no caso da mecânica newtonianiana, por exemplo)!

    ResponderExcluir
  8. obrigada Eduardo e Giuliano por essa deliciosa leitura de seus comentários (confesso me culpada de procrastinação). Achei que energia livre fosse energia disponibilizada de forma mais barata a população. Também acredito que as teorias na física não são verdades incontestáveis, já que sempre aparece alguma teoria nova que contradiz outra já existente. Contudo creio que as leis físicas são mais estáveis, já que elas tem os experimentos que as comprovam. As novas leis não as desmerecem mas as confirmam com algo mais, não foi isso que ocorreu com a teoria da gravidade? Afinal acredito que ambos estão certos, tanto quanto quem vê a velha ou a moça ( https://eumerecoviu.files.wordpress.com/2010/09/moca_velha.jpg ) então obrigada novamente, por essa discussão educada de dois pontos de vista, que terei em mente enquanto realizo a minha própria pesquisa sobre o assunto. Tenho interesse em testar alternativas de geradores de energia mesmo acreditando que essa energia perpetua como ideal é impossível, contudo como todos os sistemas que conheço não funcionam de forma ideal quem sabem não chegue a um projeto digno de ser publicado e disponibilizado...

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...